Luís Pereira e Edu relembram jogos históricos entre Palmeiras e Santos: ‘A gente se divertia’

Ídolos das equipes recordaram jogos da década de 70 e analisaram o cenário atual

Palmeiras e Santos se enfrentam neste domingo (7) pela volta da final do Campeonato Paulista, no Allianz Parque. O confronto já ocorreu em momentos decisivos como a Libertadores em 2020 e a Copa do Brasil em 2015. No entanto, os rivais também marcaram época no futebol dominando o Brasil durante as décadas de 1960 e 1970.

Conheça o canal do Nosso Palestra no Youtube! Clique aqui.
Siga o Nosso Palestra no Twitter e no Instagram / Ouça o NPCast!
Conheça e comente no Fórum do Nosso Palestra

Relacionadas

VEJA NO NOSSO PALESTRA
Endrick destaca força da torcida do Palmeiras no Allianz Parque

Relembrando os embates históricos na época das Academias, o NOSSO PALESTRA conversou com Luís Pereira, ídolo do Verdão, e Edu, ídolo do adversário. Os jogadores se enfrentaram em diferentes momentos ao longo de suas carreiras – tanto em competições nacionais como em estaduais.

Na época, Palmeiras e Santos eram as duas equipes mais fortes do Brasil. De um lado, o Alviverde com Ademir da Guia e companhia, enquanto o rival tinha Pelé no comando do ataque. Para os dois times, existe o consenso de que era o jogo mais difícil de se jogar.

– Na época, sim (era a equipe mais difícil de jogar contra). Eram difíceis porque o Santos tinha uma equipe devoradora, com Dorval, Pelé, Pepe, Toninho, Edu. O Palmeiras já vinha há algum tempo com a mesma equipe, então dificultava, mas o importante era chegar à final.  Como nós chegamos várias vezes, tanto o Santos como o Palmeiras, o Palmeiras marcou uma época boa no Campeonato Paulista, e o Santos também – afirmou Luís Pereira.

– Sempre foram grandes jogos, enfrentar o Palmeiras era difícil. Eram duas grandes equipes que se respeitavam, e sem dúvidas eram os times que dominavam o futebol (brasileiro). Um grande clássico – acrescentou Edu.

Luís Pereira e Avalone (Foto: Reprodução/Blog do Avalone)

Apesar de Luís Pereira ser considerado um dos melhores jogadores da geração, o palmeirense deixou evidente que marcar o ataque adversário não era uma missão fácil. Por isso, para conter a linha ofensiva estrelada do Santos, era preciso atenção redobrada e organização entre os defensores do Palmeiras.

–  Eu marcava mais o atacante e deixava o Pelé para outro (risos). Ajudávamos, conversávamos para ver quem ia marcar, quem ia na sobra, quem ia na cobertura, então isso facilitava bastante. É claro que o Santos era muito (difícil) por conta do jogador extraordinário que era Pelé. Para mim, foi o melhor que eu joguei contra – explicou o ex-zagueiro.

O lendário defensor do Palmeiras recordou também como era enfrentar Edu, atacante do Santos conhecido como um dos atletas mais habilidosos de todos os tempos. De acordo com ele, eram tempos em que o futebol era divertido de se ver e de jogar.

– Edu foi um grande jogador, que teve uma passagem com a gente na Seleção Brasileira, jogou no Santos, foi para o México, voltou, é um jogador excelente. Antigamente, existiam jogadores fora de série, e o Edu era um dos que tinha uma capacidade muito grande, junto com Pelé, Coutinho, Dorval. Eram jogadores maravilhosos, a gente entrava em campo e se divertia – disse.

Edu, por sua vez, recorda as dificuldades diante da defesa do Palmeiras, principalmente contra Luís Pereira. Segundo o ex-atacante, o ídolo palestrino é dono de uma carreira “brilhante”.

– O Palmeiras sempre teve uma excelente defesa, e o Luís Pereira, além de defender bem, ainda ia ao ataque e fez muitos gols em sua brilhante carreira – afirmou.

(Foto: Arquivo Histórico/Palmeiras)

Para a volta da final do Paulistão de 2024, as expectativas são diferentes. Enquanto Luís Pereira espera e acredita na virada do Palmeiras, Edu diz que o desejo é a manutenção do resultado por parte do Santos para sair campeão.

– O Palmeiras tem tudo para ganhar a partida. É claro que o futebol hoje em dia está diferente, se você tiver mais atenção você dificulta o adversário. Foi o que aconteceu com o próprio Palmeiras no primeiro jogo – pontuou Luís.

– É o que todos nós, santistas, esperamos que aconteça (título do Santos contra o Palmeiras) – concluiu Edu.

Luís Pereira representou o Palmeiras em duas passagens – entre 1968-1975 e entre 1981 e 1984. No período, o jogador marcou 36 vezes e conquistou títulos como o Paulistão (1972 e 1974) e o Brasileirão (1969, 1972 e 1973).

Edu vestiu a camisa do Santos durante dez temporadas entre 1966 e 1976. O atacante balançou as redes 196 vezes, vencendo o Paulistão em quatro oportunidades e o Brasileirão em 1968.

Palmeiras e Santos se enfrentam neste domingo (7) às 18h (de Brasília) no Allianz Parque pela volta da final do Campeonato Paulista. Em campo, o Alviverde busca seu terceiro título estadual consecutivo, feito que não acontece desde 1934.