Adidas vai da euforia ao silêncio após ficar próxima da volta ao Palmeiras

Empresa alemã precisa resolver entrave com Flamengo e situação deixa retorno mais difícil. Por outro lado, Puma ganha preferência para seguir como parceira por mais três anos

Ainda sem uma definição, Puma e Adidas seguem na disputa para ser a fornecedora de material esportivo do Palmeiras a partir de 2025. O NOSSO PALESTRA apurou que antiga patrocinadora, antes eufórica pela proximidade do acerto, agora adota o silêncio internamente e vê a concorrente voltar ao páreo após estar praticamente descartada.

Conheça o canal do Nosso Palestra no Youtube! Clique aqui.
Siga o Nosso Palestra no Twitter e no Instagram / Ouça o NPCast!
Conheça e comente no Fórum do Nosso Palestra

Relacionadas

VEJA NO NOSSO PALESTRA
Abel fala sobre ação solidária realizada na partida contra o Novorizontino

Vídeo: Reprodução

A Adidas era a favorita para fechar com o Verdão. No entanto, antes de finalizar este processo, a empresa precisa solucionar pendências em relação à renovação com o Flamengo, com quem trabalha desde 2013.

A marca tentou assinar um novo vínculo com o time carioca antes de prosseguir nas tratativas com o Palmeiras. No entanto, a diretoria flamenguista negou as investidas, uma vez que acompanha o mercado e visa receber ainda mais em um acordo futuro com base no que seria pago ao Alviverde.

Com o retorno de Leila Pereira a São Paulo após ser a chefe da delegação da Seleção Brasileira, o assunto voltou a ser discutido e o clube segue buscando uma decisão.

Soube o NP que a Adidas, em conversas recentes com membros da cúpula palestrina, tentou oferecer uma mudança na proposta inicial, com uma quantia inferior no primeiro ano de contrato e este valor seria aumentado ano a ano, algo que desagradou os envolvidos.

A Puma, por outro lado, voltou à disputa pelo fornecimento esportivo. A empresa alemã ofereceu um reajuste de 25% em relação ao contrato atual, chegando a R$ 50 milhões entre dinheiro fixo e royalties. Além disso, este valor pode chegar a R$ 60 milhões, dependendo de metas a serem batidas pelo time masculino e feminino.

A valorização do Palmeiras nas campanhas da marca e a relação com lojistas também é algo visto com bons olhos pelo clube, favorecendo a atual fornecedora na briga pela renovação.