Titular contra o River em 1999, Rubens Júnior revela amizade com Abel Ferreira e dá conselhos a elenco do Palmeiras

Lateral-esquerdo do Verdão em jogos decisivos da conquista da Libertadores falou com exclusividade ao NOSSO PALESTRA sobre momento atual do clube na competição

Repetindo a semifinal da Libertadores de 1999, o Palmeiras enfrentará o River Plate nesta terça-feira (5). Naquela ocasião, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari precisou contar com Rubens Júnior, lateral-esquerdo reserva, dado que Júnior, o titular, estava suspenso pela Conmebol por duas partidas e não enfrentou o clube argentino nos confrontos

Em entrevista exclusiva com o NOSSO PALESTRA (confira o vídeo completo no fim da matéria), o ex-atleta falou sobre a responsabilidade de disputar uma partida tão importante e como isso pode marcar a carreira de um jogador pelo resto da vida. Além disso, ele deu conselhos para o atual elenco do Verdão sobre como se preparar para um duelo desse tamanho:

– É motivante, né? Só de jogar uma semifinal de um campeonato tão importante, a gente sabe o peso que isso tem. Se hoje estamos falando sobre isso, é porque eu e os outros jogadores daquela época entramos para ahistória. É a oportunidade de deixar um legado, algo marcado, então isso tem que motivar um atleta. É difícil chegar a jogar num patamar desse. Vale tudo, vale concentrar, vale ficar em casa, fechar a família, ouvir e assistir tudo que há de pontos fortes e fracos da equipe adversária, se preparar o máximo possível para não se arrepender depois e pensar que poderia ter feito algo a mais.

Rubens Júnior, camisa 21, comemora a conquista da Libertadores de 1999 (Foto: AP Photo/Dario lopez-Mills)

Conheça o canal do Nosso Palestra no Youtube! Clique aqui.
Siga o Nosso Palestra no Twitter e no Instagram
 / Ouça o NPCast!

O campeão continental também falou sobre a difícil missão de substituir Júnior, um dos maiores laterais-esquerdos do Brasil à época. Júnior, inclusive, bateu um papo com o NP no último sábado (3) e afirmou que a atuação de Rubens nas semifinais foi ‘maravilhosa’. O substituto, no entanto, sabia que era impossível igualar o tamanho do titular da posição:

– O Júnior para mim era o maior lateral daquele momento, tanto pelo que fazia no Palmeiras quanto nas passagens pela Seleção Brasileira. Então eu sabia que não tomaria a vaga dele, porque era impossível, ele era um ídolo. Mas eu tive a ajuda dos companheiros e do Felipão, que era muito transparente. Ele sempre dizia que eu iria entrar para a história igual a todos do elenco e me falava que, se fosse por ele, ele colocaria nós dois no time, porque eu tinha capacidade.

“O Felipão sempre dizia que eu iria entrar para a história assim como todos do elenco”

Rubens Júnior

– Ele sempre me dava essa moral perante ao elenco, quando acabava o treino e ele me chamava para conversar, e nenhum outro jogador se sentia melindrado por isso. Eu sabia exatamente onde estava e só não queria decepcionar o Palmeiras e o Felipão quando tivesse a oportunidade. Então eu me preparei, graças a Deus entrei para a história e não decepcionei quem confiou em mim.

Rubens Júnior e Palmeiras de 2020: amizade com Abel Ferreira e confiança em Matías Viña para encarar o River Plate

Anos depois da Libertadores, ao se juntar ao Vitória de Guimarães, de Portugal, o lateral-esquerdo se tornou colega de um lateral do lado oposto do campo que, como técnico, viria a ser um dos protagonistas do Palmeiras mais de 15 anos depois: Abel Ferreira. O brasileiro falou sobre sua proximidade com o português que comanda o Verdão:

– Eu tive o prazer de jogar com o Abel ainda aqui em Portugal, no Vitória de Guimarães, jogamos dois anos juntos. É um amigo mesmo, a gente tinha uma relação muito boa. É um cara que tem um coração bom, é trabalhador, ele se preparou para esse momento e, apesar de não ter conquistado grandes coisas como treinador, ele já conquistou algo importantíssimo: o respeito.

Abel Ferreira tem o ‘sangue fervendo’ até os dias de hoje (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)

– Aqui em Portugal, quando se fala dele, ele já é considerado um treinador do topo. É um cara que a qualquer momento pode treinar o Porto ou o Benfica, assim como está no Palmeiras, que será muito bom para a carreira dele. E ele está aproveitando muito bem isso. Do mesmo jeito que jogava com aquela concentração, motivação, com o sangue fervendo, eu vi que ele está assim no Palmeiras. Li que ele está morando no centro de treinamento para ser mais rápido na construção de sua visão no clube. Todo treinador precisa da primeira grande conquista, assim como o Felipão e Luxemburgo, e acredito que o Abel vai chegar nesse patamar, e seria muito importante se o Palmeiras voltasse a conquistar a Libertadores com um cara com o caráter inexplicável que é o do Abel.

“Aqui em Portugal, quando se fala de Abel Ferreira, ele já é considerado um treinador do topo. É um cara que a qualquer momento pode treinar o Porto ou o Benfica.”

Rubens Júnior, campeão da Libertadores de 1999 e atual residente de Braga, Portugal

Por fim, Rubens exaltou Matías Viña, o atual titular pelo lado esquerdo da defesa alviverde. O uruguaio é o sucessor longínquo da posição que já foi ocupada pelo ex-atleta que hoje reside em Braga:

– O Viña tem total condições (de assumir a posição). Acredito que o Scarpa deva ajudar o Palmeiras no meio, na posição dele, onde ele não precise de responsabilidades na lateral. E se tem um jogador como o Viña na lateral, tem que ser ele.

Assim como em 1999, a partida de ida da semifinal da Libertadores ocorre na Argentina: o Verdão encara o River Plate às 21h30 desta terça-feira (5), no estádio Libertadores de América, em Avellaneda. O confronto de volta será disputado no Allianz Parque, em São Paulo, no dia 12 de janeiro. O vencedor no placar agregado garantirá uma vaga à grande final da maior competição de clubes da América do Sul.

CONFIRA O BATE-PAPO COMPLETO COM RUBENS JÚNIOR:

LEIA MAIS