A estratégia do Palmeiras para vencer o Grêmio pode ser a estratégia para ganhar o ano

A estratégia do Palmeiras para vencer o Grêmio pode ser a estratégia para ganhar o ano

O técnico Roger Machado definiu assim a estratégia do Palmeiras para vencer o Grêmio por 2 a 0 na Arena:

Pra mim, o principaL pilar dessa equipe do Renato é a construção dos volantes, que conseguem lidar muito bem com a bola e achar soluções. Era importante não permitir que esses jogadores tivessem conforto. E não no nosso campo de defesa, porque senão seríamos empurrados para a nossa área. Sempre que possível precisávamos empurrar o Grêmio pro seu campo de defesa.

Taticamente, Roger definiu bem o que aconteceu no jogo. Popularmente, ele poderia dizer que o Palmeiras optou por jogar com a bola. Dividir a posse com o Grêmio. Tanto que os números finais resultaram em 50% de posse de bola para cada equipe. Por jogar com a bola, o Palmeiras mostrou o mesmo poder de criação apresentado na segunda etapa do clássico contra o São Paulo ao desenvolver o chamado jogo assistido mais uma vez.

Ao assistir os melhores momentos da partida, é perceptível a participação de Hyoran na construção dos ataques pela direita, de Dudu nos ataques pela esquerda e, principalmente, de Willian jogando na intermediária ofensiva para ser uma das opções de passe de Moisés, Bruno Henrique ou Felipe Melo. Com o meio povoado, as opções aparecem para confundir o sistema defensivo adversário e os espaços surgem naturalmente.

Quando não joga como jogou contra o Grêmio, o Palmeiras recebe críticas, independente do resultado. Apresentar todas as ferramentas técnicas que a equipe tem passa a ser o melhor caminho para ampliar as chances de vencer. Jogar como jogou contra o Cruzeiro, por exemplo, diminui as chances de uma equipe com suficiente qualidade para incomodar o adversário.

Jogar como tem jogado os últimos três tempos em que entrou em campo elimina grande parte das críticas do torcedor, independente do resultado, tendo em vista que a equipe certamente apresentará todo o seu potencial criativo e apenas perderá pontos para adversários que demonstrem potencial criativo e de finalização igual ou melhor do que o Palmeiras. A estratégia funcionou no segundo tempo diante do São Paulo e em toda a partida contra o Grêmio. Certamente tem potencial para funcionar contra qualquer outro adversário.

  • Rodrigo Fragoso

    Rodrigo Fragoso

    Formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero e especializado em gestão, direito e marketing esportivo pela FIFA/CIES/FGV.