(Foto: Divulgação/Palmeiras)

A festividade pelo Ano Novo chinês começou no mesmo dia em que o palmeirense festejou a permanência do seu capitão.

Foi mais uma vitória sobre o poderio financeiro do país asiático que recebe o Porco. Tinha sido assim com Dudu e com a chegada de Ricardo Goulart. Além de se reforçar com um dos principais atletas de lá, segurou os dois melhores do ano passado por aqui.

O calendário chinês leva em conta as fases da lua e a posição do sol. O Palmeiras teve a sua fase mudada. Não estava virado para a lua por incompetência administrativa e técnica até pouco tempo atrás. Basta lembrar que no fim de 2014 ninguém queria jogar no novo Allianz Parque. Agora, ninguém quer sair.

As fases da lua trouxeram reestruturação, modernidade, trabalho e competência. Isso ajuda a se tornar virado para a lua.

Por tradição, os chineses aproveitam este período para colocarem os pedidos na porta de casa. Por aqui, o torcedor nem precisa pedir e o clube sabe disso, tanto que fez o possível - e conseguiu - para manter o elenco campeão, além dos reforços.

A partir de 5 de fevereiro começa o Ano do Porco na China e, quem sabe, no Brasil também.