Beatles, Pitágoras e o Parmera

Beatles, Pitágoras e o Parmera

Me arrumava pra dormir quando decidi musicalizar o momento. Lembrei-me dos Beatles que há tempos não ouvia. Ótima chance de dialogar com os fantasmas da madrugada ao lado de Lennon e Harrison. De algum lugar, eles tocavam em acordes carinhosos e afetuosos o começo de Yesterday.

Cantamos eu, os sons da noite, as lembranças e as divagações que o futebol me causa nestas horas impróprias pra sobriedade. Veja só você que eu não sabia até essa fase dessa crônica ébria os porquês de fazê-la até quando recobrei as noites em que comecei a ouvir os caras de Liverpool. Estudava Pitágoras e suas imbecilidades cheias de razão, ainda no longínquo colegial.

Tudo fez sentido. Ainda não que não faça.

Pense só, meu velho: até ontem, era o fim da jornada terrestre. Cantávamos Let it Be, tristes, com olhos marejadas, lá na sarjeta da ressaca. Não mais que de repente, surge o delta. O número mágico que em uma fórmula todo confusa faz com que um resultado aconteça. Eu odeio homericamente esse numeral, mas ele deu liga àquela sopa de continhas.

Meu ódio virou canto, meio que um Hey, Mano, vai tomar no cu. Hey, Jude. Até que a gente percebe que nem é tão ruim assim. Berra Yesterday com saudades dos anos gloriosos, mas percebe que vive exatamente o que fez feliz ontem, no ano passado. Que o mano da conta não é inimigo. Dá pra fazer um cordel de Rock com aquelas coisas desconexas.

Tipo o Mano e a famiglia. Tipo Beatles e Pitágoras.

Lennon produziu Across the Universe e Pitágoras, a solução de quase tudo. Um, celebra o caos. O outro, resolve o caos. A gente é música quando se desespera, mas também é matemática pra ver que um mais dezoito milhões é um poder imensurável. A gente é música pra encher o estádio em plena terça feira e ver que tem campeonato. E não tem fórmula no mundo que negue a chance.

I want to hold your hand, Palmeiras e voce nem precisa pedir Help. In my life, você problematiza e você resolve. Meu ticket to ride no campeonato já tá no bolso, afinal, all my love é teu. Coisa de mano, de pai, de filho, de música, de conta.

De coração.

Tags:
  • João Gabriel

    João Gabriel

    De família italiana e tipicamente alviverde, é de São Manuel, interior do estado. Se formou em Jornalismo pela USC/Bauru e é pós graduado em jornalismo esportivo pelo IPOG/SP.