Gustavo Gómez chega com status de xerife, bom cabeceador e multifuncional na posição

Gustavo Gómez chega com status de xerife, bom cabeceador e multifuncional na posição

O Palmeiras contratou na última segunda-feira (30) o zagueiro bom no jogo aéreo e na antecipação, Gustavo Raúl Gómez Portillo Quem comenta sobre essas qualidades é o jornalista que sabe tudo sobre futebol sulamericano, Joza Novalis.

Gustavo Gómez como é conhecido no futebol, no alto dos seus 25 anos completados, em maio, foi revelado pelo o clube do seu país, o Libertad, do Paraguai. Novalis afirma que o beque paraguaio tem um ‘Q’ de Varane, uma leitura de marcação de Otamendi e a força de um Kompany. Logo, chegamos ao Cléber, o xerife dos anos 90 da zaga alviverde que ninguém passava como alusão ao trecho do hino “defesa que ninguém passa”.

gomes-libertad

Gómez era um desejo antigo do atual diretor de futebol palmeirense, Alexandre Mattos. Em 2014, antes da Copa do Mundo tentou trazê-lo para o Cruzeiro, mas a negociação não deu certo. No ano seguinte, o paraguaio desembarcou na Argentina para atuar no Lanús e se destacar a ponto de chamar atenção do Milan, da Itália.

Os italianos pagaram oito milhões e meio de euros pelo zagueiro de 1,85cm em agosto de 2016 por cinco temporadas. Na Europa, por contusão e preferência técnica, só atuou 20 jogos pelos milaneses. Foram 18 cotejos na Série A, uma na Liga Europa e outra pela Copa da Itália.

GOMEZ-PARAGUAI

De acordo o Novalis, a sua qualidade é inquestionável. Tanto no mano a mano quanto na agilidade. O atleta não era pretendido por Boca Juniors e Flamengo, à toa. Desde 2016 joga pela seleção Paraguai Sub-20 e depois a principal fazendo dupla com Balbuena, ex-Corinthians, com 29 jogos e dois gols.

Gustavo Gómez pelo estilo completo de jogar na parte defensiva pelas quatro posições consegue jogar como zagueiro central ou quarto zagueiro. Além das laterais.

Curiosidade

O paraguaio quando atuava na Argentina participou de um lance forte com Tévez, no confronto entre Boca Juniors e Lanús, pela semifinal da Copa Argentina de 2015. E o ídolo corintiano levou a pior.

(Fotos: Lanús, Libertad e Seleção do Paraguai/Divulgação)

  • Alysson Rodrigues

    Alysson Rodrigues

    Frustrado por não ser atleta por algo que sou apaixonado viro jornalista para unir essas paixões: leituras futebolísticas e Palmeiras.