Intensidade, objetividade e raça: Palmeiras mostrou no Choque-Rei o que sua torcida queria ver

Intensidade, objetividade e raça: Palmeiras mostrou no Choque-Rei o que sua torcida queria ver

Fotos: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Mano Menezes chegou ao Palmeiras repleto de dúvidas, e mesmo com as vitórias, ainda havia uma impaciência com o treinador, muito pela maneira como cada vitória vinha sendo conquistada. Entretanto, na noite da última quarta-feira, o Verdão fez um jogo impecável diante de um dos maiores rivais, mostrando praticamente tudo que a sua torcida esperava e vencendo por 3 a 0.

Desde o primeiro minuto de jogo, o time mostrou intensidade e uma forte pegada, tanto com a bola quanto sem ela.

Quando estava com a posse, buscava atacar quase que em todo o momento. Não haviam troca de passes para o lado e sem objetividade. Sem a bola, era intenso para recupera-la e não dar espaço para os jogadores do São Paulo.

felipe
Autor do segundo gol, Felipe Melo foi um dos destaques do Choque-Rei

A intensidade foi mantida por quase todos os 90 minutos. Nos poucos momentos que o rival conseguia atacar, Weverton apareceu bem para impedir um gol do Tricolor.

Uma característica do time quando era comandado por Felipão também apareceu na noite de ontem. O Palmeiras era objetivo. Pegava a bola e ia para frente. No terceiro gol, do toque de Weverton até gol de Scarpa, se passaram cerca de 10 segundos, com o time puxando um rápido e mortal contra-ataque.

Foi a melhor atuação do Palmeiras sob o comando de Mano Menezes devido ao tamanho do jogo somada à atuação, que poderia ter convertido até em mais gols.

Um clássico que dá moral ao treinador, que está buscando, aos poucos, conquistar de vez a torcida palmeirense.

  • Mohamed Nassif

    Mohamed Nassif

    Jornalista formado em 2016 pela FIAM-FAAM. Teve passagens pela TV Bandeirantes e pelo portal Torcedores.com