Palmeiras cumpre papel e traz vitória do Maranhão

Palmeiras cumpre papel e traz vitória do Maranhão

Foi um jogo morno, modesto e cheio de carinho vindo das arquibancadas. A jornada do Nordeste foi impecável em tudo o que aconteceu além das quatro linhas, mas deixou bastante a desejar na qualidade do futebol apresentado, ainda que o final da viagem tenha sido com a vantagem consolidada na primeira perna das oitavas de final da Copa do Brasil.

Com um verdadeiro time reserva de titulares, o Palmeiras encarou o Sampaio Corrêa com a missão de rodar o elenco e dar rodagem a quem tem jogado menos. Jogaram, enfim, mas esbarram em questões maiores. Gramado pesado, entrosamento quase zero e má noite de algumas peças complicaram o desempenho de um bom futebol ainda que competitivo.

Depois de um primeiro tempo paupérrimo, Arthur Cabral não conseguiu se sobressair com a chance de atuar e não voltou para a segunda etapa. Nada que se fosse digno de registro aconteceu enquanto ele esteve em campo e não por culpa do 9. Hyoran em batida de falta belíssima que parou na trave foi a lembrança isolada de 47 minutos em que nada se notou.

Com Deyverson, um pouco mais de agito, mas sem eficácia, o Palmeiras até tentou uma graça pra cima do esforçado time do Sampaio. Importante mesmo foi a batida de cabeça do goleiro Andrei, dos locais, que o fez perder bastante dos sentidos, mas que, de maneira perigosa, se manteve no jogo e protagonizou o lance que mudaria o destino do jogo que já se encaminhava de gatinho para um empate nada empolgante.

Aos 40 e muitos, com Dudu e Pires em campo, o Palmeiras já parecia acomodado com o placar quando Moisés arriscou chute em falta longa e o goleirão Andrei foi infeliz, ou afetado pela concussão?, provavelmente os dois, na tentativa de defesa que acabou em gol. O tento isolado que deu a vitória ao alviverde.

Não são dois times nas mesmas proporções, e sabia-se disso. Importante mesclar e rodar peças quando o jogo permite. O Palmeiras cumpriu a missão, venceu, poupou e acariciou seu povo que mora longe do Allianz Parque. O elenco agora se dirige à Brasília, não de ônibus como João de Santo Cristo, mas em voo fretado que chega à capital federal ainda neste quarta.

Sábado o Palmeiras volta à campo pelo Brasileirão, diante do Botafogo, no estádio Maé Garrincha.

Tags:
  • João Gabriel

    João Gabriel

    De família italiana e tipicamente alviverde, é de São Manuel, interior do estado. Se formou em Jornalismo pela USC/Bauru e é pós graduado em jornalismo esportivo pelo IPOG/SP.