Palmeiras e Internacional: o que esperar desse confronto pela Copa do Brasil?

Palmeiras e Internacional: o que esperar desse confronto pela Copa do Brasil?

Palmeiras e Internacional se enfrentarão nas quartas de final da Copa do Brasil após a Copa América. A primeira partida acontece no Allianz Parque, enquanto o confronto decisivo terá o Beira-Rio como palco. O histórico dos últimos 10 jogos favorece demais o Palmeiras, enquanto o retrospecto recente envolvendo as últimas duas partidas (uma em cada casa) com as equipes já sob o comando dos atuais treinadores, a diferença é pequena.

O Palmeiras acumula seis vitórias, dois empates e duas derrotas nas últimas 10 partidas (de 2015 para cá), mas os números envolvem elencos, situações e treinadores muito diferentes. Observando os dois mais recentes confrontos entre as equipes, empate por 0 a 0 no Beira-Rio pelo 2º turno do Brasileirão de 2018 e vitória alviverde por 1 a 0 no Allianz Parque pelo 1º turno da atual edição do Brasileirão, cerca de um mês atrás.

ONDE QUER QUE ACONTEÇA O JOGO, A BOLA DEVE SER DO INTERNACIONAL

No Allianz Parque ou no Beira-Rio, a tendência é de que o Colorado tenha mais posse de bola, já que com os mesmos treinadores e elenco muitos parecidos, o Inter obteve 57,5% de posse no empate em casa por 0 a 0 pelo BR18 e 59,2% no duelo disputado em São Paulo. É sempre importante pontuar que estamos falando em tendência baseada no que as equipes apresentaram em atuações recentes. O Palmeiras, por exemplo, obteve menor posse de bola em duas das oito* partidas disputadas até aqui no Campeonato Brasileiro, enquanto o Internacional teve o desempenho exatamente oposto (seis jogos com maior posse de bola).

PARTIDA 1: INTERNACIONAL É VISITANTE INCERTO CONTRA MANDANTE CERTEIRO

O Palmeiras vive o melhor ano como mandante desde a reinauguração de sua casa. Jogando ao lado de seu torcedor, são 13 vitórias, dois empates e uma derrota. Pensando em confrontos que envolvem adversários de nível semelhante ao Internacional (e até mesmo um confronto com o próprio Inter no Brasileirão) contando então apenas equipes de primeira divisão, são sete vitórias, dois empates (Santos e São Paulo) e uma derrota (Corinthians). Os tropeços, aliás, aconteceram durante o Paulistão, período em que a equipe ainda não exibia a boa performance atual, embora tenha alcançado a melhor campanha do estadual.

Já o Internacional passa a ser uma incógnita, tendo em vista que em 17 partidas, venceu oito, empatou quatro e perdeu cinco jogos. Contra o Grêmio, no Campeonato Gaúcho, perdeu um duelo e empatou outro. A dúvida sobre o potencial do Colorado fora de casa existe por conta da diferença entre o desempenho longe de seu torcedor na Libertadores e no Brasileirão: na competição internacional, foram 2 vitórias e um empate, enquanto na competição nacional, foram três derrotas (uma delas para o Palmeiras) e um empate.

PARTIDA 2: INTERNACIONAL MANDA MUITO NO BEIRA-RIO, MAS VAI RECEBER VISITANTE QUASE IMBATÍVEL

Os números do Internacional em casa também são muito positivos: em 16 partidas, 12 vitórias, dois empates e duas derrotas. No Brasileirão e na Libertadores, enfrentando adversários de nível semelhante ao Palmeiras, por exemplo, são 6 vitórias e um empate, tendo marcado 16 gols e sofrido seis. Cruzeiro e Flamengo, por exemplo, considerados times de grande capacidade, foram vítimas do Inter atuando no Beira-Rio no mês de maio.

O Palmeiras já realizou 16 partidas longe de seu torcedor e foi derrotado apenas uma vez nesse ano, diante do San Lorenzo, na Argentina, pela Copa Libertadores da América. A equipe de Felipão obteve nove vitórias e seis empates no restante dos confrontos, sendo uma das principais delas a vitória diante do Atlético-MG, atual terceiro colocado do Brasileirão e que tem impressionado positivamente em termos de performance.

CONFRONTO: PARTIDA INAUGURAL COLOCA PRESSÃO POR BOM RESULTADO TAMBÉM NO INTERNACIONAL

Com o sorteio colocando a primeira partida do duelo de 180 minutos no Allianz Parque, alguém pode dizer que a pressão pelo resultado passa a ser toda do Palmeiras, tendo como objetivo não chegar ao Beira-Rio sem a vantagem do empate. Entretanto, os bons números da equipe alviverde jogando fora de casa devem gerar uma preocupação na cabeça de Odair Hellmann: precisar vencer uma equipe que só perdeu um dos 16 jogos disputados em casa na temporada não é missão fácil e o jogo eliminatório gera uma atmosfera que pode mudar de apoio para pressão em alguns minutos. O confronto promete muito, já que ambas as equipes carregam características diferentes, embora sejam próximas tecnicamente.

  • Rodrigo Fragoso

    Rodrigo Fragoso

    Formado em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero e especializado em gestão, direito e marketing esportivo pela FIFA/CIES/FGV.