Valeu o título, mas valeu mais o teste

Valeu o título, mas valeu mais o teste

Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Eu era totalmente contra a ideia do Palmeiras disputar a Florida Cup. Achava que o campeonato não trazia muita coisa de bom para os clubes participantes, além de atrapalhar o já extenuante calendário do futebol brasileiro.

Porém, as duas partidas que o Palmeiras fez em Orlando, fez eu mudar um pouco de ideia.

O torcedor pode e deve comemorar o título. Eu seria contraditório se afirmasse que é um título relevante. Tanto que o São Paulo ganhou em 2017 e depois lutou pra não cair no Brasileiro. Flamengo venceu na temporada passada e o título virou chacota dentro de sua própria torcida.

Por isso pra mim valeu mais o teste.

Mas voltando ao campo, o Verdão encarou dois bons times, que fizeram com que Luxemburgo pudesse conhecer o seu elenco e principalmente testar os garotos da base.

De todas as crias da Academia que foram pra Flórida, apenas Esteves e Vinícius Silvestre não atuaram.

Gabriel Menino deixou uma ótima impressão, inclusive deve ser titular em Itu, na próxima quarta-feira, quando o Palmeiras estreia no Paulista. Patrick de Paula também demonstrou personalidade e pode agregar muito durante o ano, idem para Alanzinho.

Wesley e Gabriel Veron surgem como boas opções para o ataque, principalmente entrando no segundo tempo.

A torcida tem que ter paciência e apoiar o novo projeto de futebol do clube. O time não vai conseguir pressionar e sufocar o adversário em 15 dias de trabalho.

Felipe Melo não vai se tornar um grande zagueiro da noite pro dia. Apesar de que o aspecto mais preocupante em relação ao camisa 30 é o seu ímpeto explosivo e a nova faixa de capitão. Felipe terá que demonstrar um comportamento que nunca teve como atleta. O desafio é maior do que recuar de posição.

Resta agora a diretoria do clube abraçar o seu torcedor de volta.

Como o próprio Luxemburgo disse ontem na coletiva, a base do time é muito boa. Com algumas contratações pontuais dá sim para o clube voltar a levantar um caneco.

Brigar pelo título brasileiro com o Flamengo será uma tarefa complicadíssima, mas nos torneios eliminatórios é plenamente possível lutar por título.

2020 enfim começou!

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 28 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!