Vamos doar o que pedimos ao Palmeiras: amor

Vamos doar o que pedimos ao Palmeiras: amor

Felipe sempre sonhou ser pai. “Pra poder levar meu filho ao estádio e passar pra ele o amor que eu sinto pelo Palmeiras desde criança. Quando a minha esposa Vanessa descobriu que estava grávida fiquei em êxtase, fiz questão que o ensaio fotográfico fosse do Palmeiras. Escolhemos Lorenzo pela origem italiana”.

O menino nasceu em 24 de abril deste ano. No dia seguinte, o teste do pezinho deu “quente”. O Palmeiras foi a Bombonera e venceu o Boca Juniors. Os pais estavam na maternidade celebrando o dia mais feliz da vida deles e a grande vitória em Buenos Aires.

No domingo do Derby, Felipe e Vanessa estavam com Lorenzo no hospital. Celebraram a grande vitória. Mas agora na UTI. “Lutando pela vida do meu filho que, tão pequeno, já trava uma batalha tão grande. Por ele eu sigo lutando, buscando ajuda, sendo forte, para que daqui a alguns anos eu esteja acompanhando os jogos com ele dentro no estádio e não mais no hospital”.

Lorenzo tem leucemia e precisa que a gente doe sangue. Plaquetas. Medula. Tudo que a foto explica. Nada que a gente encontre explicação.

O que nos une nesta rede social é o futebol que tem vencedores e derrotados. Quase sempre de times diferentes. É hora de dar o sangue e juntar forças. Doar o que temos como exigimos às vezes que se dê em campo o que outros não têm.

É hora de torcer pelo Lorenzo como pelo Palmeiras e por cada time: incondicionalmente. O nosso grito para ele é nosso sangue. Não é o fim da picada. A picada é o recomeço de uma nova vida.

Lorenzo tem só 4 meses. O Felipe e a Vanessa vão ter uma vida de Palmeiras para celebrar o Alviverde inteiro que vai doar o que temos correndo em nossas veias: amor.

  • Mauro Beting

    Mauro Beting

    Mauro Beting é comentarista do Esporte Interativo e da rádio Jovem Pan, blogueiro do UOL, comentarista do videogame PES desde 2010. Escreveu 16 livros, e dirigiu três documentários para cinema e TV.