Zetti relembra recorde histórico de 12 jogos e torce para Weverton ultrapassá-lo

Zetti relembra recorde histórico de 12 jogos e torce para Weverton ultrapassá-lo

O Nosso Palestra conversou nesta manhã com o ex-goleiro Zetti, detentor do maior número de jogos sem levar gols defendendo a meta palmeirense. Lendário na posição, Zetti conseguiu a façanha de ficar 12 jogos sem sofrer gol pelo Campeonato Paulista de 1987, totalizando 1.238 minutos de invencibilidade.

Com o número alcançado, Zetti se tornou na história do futebol mundial o 9º goleiro que mais tempo passou sem tomar um gol e o 4º brasileiro com mais tempo de invencibilidade. Ficando na frente de grandes lendas como: Dino Zoff, Vitor Baia, Emerson Leão e Raul Plasmann.

O ex-goleiro do Palmeiras relembrou da época em que construiu a marca, contou algumas histórias hilárias da época e claro, falou sobre a grande fase vivida por Weverton, goleiro titular do Verdão que já está há 9 partidas sem ser vazado.

Confira o bate-papo:

Expulsão de Martorelli foi a brecha!

"Eu estava na reserva no Paulista (1987) e tive a oportunidade de entrar no lugar do Martorelli por que ele foi expulso. Joguei os últimos 15 minutos e o Palmeiras perdeu de 2 a 1 para o Guarani no Pacaembu. Depois segui no time para encarar o São Bento em Sorocaba e nós perdemos por 1 a 0, gol de falta do Dino Furacão. O técnico (Carboni) foi demitido após essas duas derrotas. Ficou um grande suspense pra saber quem seria o goleiro do novo treinador (Waldemar Carabina). O interino assumiu e decidiu manter a equipe da última partida. Eu não me recordo o primeiro time que passei invicto, mas depois disso engatamos uma série de 8 jogos sem levar gol. O Carabina conseguiu dar um padrão defensivo interessante para a equipe.

Comprar goleiro?

"Durante este meu período de afirmação, surgiu um papo de que o Palmeiras estava procurando um goleiro. Diziam até que iriam trazer um goleiro alemão. Mas eu fui fazendo bons jogos, estava muito bem preparado, tinha apenas 22 anos em plena forma física e fazendo defesas fantásticas."

Choque-Rei e a afirmação

"Um dos jogos mais marcantes de toda a série invicta foi o clássico diante do São Paulo. Vencemos por 1 a 0 com um gol do Lino e eu fui eleito o melhor em campo. O ataque do São Paulo era muito forte e a minha grande atuação fez com que a mídia se atentasse para o meu potencial e também para o recorde, já que este era o sétimo ou oitavo jogo sem ser vazado."

Quem vai fazer gol no Zetti?

"Chegou um momento em que as rádios começaram a criar alguns desafios. Quem vai fazer gol no Zetti? E tinha uma brincadeira com os torcedores também. As pessoas podiam tentar acertar em qual minuto eu iria tomar o gol. Quem acertasse ganhava um prêmio. Como não tinha internet, as brincadeiras eram feitas todas em jornais e nas rádios. Eu também era premiado a cada minuto que ficava sem levar gols. Era uma época muito boa, uma pressão totalmente diferente da de hoje. Não havia tanta preocupação."

01
Arquivo Zetti

Contagem regressiva e Adeus Leão!
"Tem uma história engraçada. Eu tenho até vídeo disso. O Leão era o detentor do recorde no Palmeiras. Em 1973 ele ficou 1.057 minutos sem tomar gol. A gente estava fazendo um jogo no Pq. Antártica e se eu ficasse 27 minutos sem tomar gol eu ultrapassava ele. Quando faltava 10 segundos para bater os 27 do primeiro tempo, a torcida começou a fazer uma contagem regressiva. Eu não sabia o que estava acontecendo. Quando deu o tempo o estádio fez muito barulho. O Vágner Bacharel era o meu quarto zagueiro, um cara fantástico. Quando a bola saiu ele trouxe o time inteiro para me abraçar. Foi uma coisa inesquecível."

Derby diante do Corinthians foi um dos jogos de invencibilidade de Zetti pelo Palmeiras. Relembre como foi a partida:

Ídolo Luís Pereira acaba com a marca
"A gente vinha de uma sequência muito boa, com uma defesa muito segura. Dei azar em um lance que muitos falam que o gol foi do Luís Pereira (na época atuando pelo Santo André), mas o gol foi contra. O Luís chutou, a bola desviou no Lino e me tirou totalmente do lance, eu estava nela, mas infelizmente passou."

Weverton pode ultrapassar o recorde?
"Eu acho muito possível. O Weverton está muito bem. O Felipão conseguiu deixar o time do Palmeiras muito mais organizado dentro de campo. O Palmeiras dificilmente toma sufoco. O Weverton conseguiu a sequência que precisava. É um goleiro rápido com uma técnica muito boa. Ele passa segurança, isso é fundamental para um goleiro, passar segurança para a sua defesa. A bola aérea dele é muito boa. Nesses jogos de Libertadores em que os times alçam muita bola na área, é importantíssimo ter um goleiro seguro e que saia tão bem do gol como ele. Ele não vem fazendo muitas defesas plásticas, difíceis, pois o time está marcando muito bem. Essa proteção facilita muito o trabalho dele."

Ficaria triste se perdesse a marca?

"Com certeza não. Estou torcendo muito para ele. Essas marcas são muito importantes para a história do clube e do futebol. Eu nunca liguei muito para esses recordes, mas eles simplismente foram acontecendo. De verdade, estou torcendo muito para que ele quebre meu recorde e fique ainda mais tempo sem levar gols."

ClickParmera-23
Foto: Marcelo Brandão/ Click Parmera

Weverton já soma 813 minutos sem levar gols pelo Palmeiras. O último tento sofrido foi diante do Fluminense, aos 43 do primeiro tempo, pela 15ª rodada do Brasileirão. A conta oficial em torno do titular do Palmeiras já considera o desconto dos 45 minutos do duelo frente ao Vasco, pela 18ª rodada do Brasileiro, quando Jailson o substituiu após o intervalo. Considerando os acréscimos, a marca de Weverton sobe para exatos 927 minutos intacto.

Lista das dez maiores invencibilidades do futebol mundial. Weverton já está na posição 24:

1 - Mazaropi - 1.816 minutos - (Vasco - Carioca de 77 e 78)
2 - Neneca - 1.636 minutos - (Náutico - Pernambucano de 74)
3 - Jorge Reis - 1.604 minutos - (Rio Branco)
4 - El Batal - 1.442 minutos - (Al-Ahly)
5 - Dany Verlinden - 1.390 minutos (Club Brugge - 1990)
6 - Buljubasich - 1.352 minutos (Universidad Católica)
7 - Edwin Van Der Sar - 1.311 minutos (Manchester United - 2008 a 2009)
8 - Abel Resino - 1.275 minutos (Atlético de Madrid - 1991)
9 - Zetti - 1.238 minutos (Palmeiras - 1987)
10 - Vitor Baia - 1.192 minutos (Porto - 1991 a 1992)

  • Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim

    Gabriel Amorim, 27 anos, detesta quem assiste ao jogo sentado e tem como grande ídolo Armando Nogueira. Formado em Jornalismo pela UMESP em 2012, cobriu a Copa do Mundo da Rússia pelo jornal Lance!